Em Portugal chegou-se ao ponto de não retorno: o custo de vida disparou mais de 30 por cento nos últimos 12 meses e continua a aumentar a olhos vistos sem aparente fim no horizonte. Os preços dos bens não param de subir e apenas o rendimento se mantém igual, aliás, há mesmo quem tenha visto o seu orçamento drasticamente reduzido. Neste cenário, viajar é quase um luxo mas nem por isso deixa de ser possível. O segredo está em conseguir identificar as melhores propostas e agarrá-las a tempo.

Uma das formas mais indicadas para garantir as boas propostas é seguir um conjunto de dicas que apontem o caminho certo a percorrer com vista a atingir o objectivo desejado, uns (merecidos) dias de descanso a um custo acessível. Para o ajudar nessa tarefa reunimos oito conselhos fundamentais para que encontre férias baratas mesmo em tempo de crise. Confira-os nas próximas linhas e ponha-os à prova. Certamente que lhe vão ser bem úteis no futuro. Leia-os atentamente e tire o máximo partido do que essas sugestões têm para oferecer.

  • Escolha primeiro o destino de férias pretendido e só depois investigue as propostas existentes no mercado. Assim conseguirá manter-se focado num local em específico, não correndo o risco de se distrair com a imensa publicidade que prolifera nas páginas dos operadores turísticos. Saber à partida o que se ambiciona é meio caminho andado para uma escolha eficiente da alternativa adequada às suas pretensões;
  • Tenha desde logo um preço em mente e respeite esse valor quando estiver a fazer as suas pesquisas. Desta forma saberá que não pode “cegar-se” pela publicidade de um belo destino de férias extremamente atraente a “um preço muito reduzido”, pois o seu rendimento disponível para as férias está bem identificado, não havendo margem de manobra para ir além dessa quantia fixada;
  • Compare os custos e alternativas usando simuladores e outras ferramentas que lhe permitam uma avaliação mais detalhada das propostas. Tenha em conta as comissões, taxas acrescidas e outras despesas, cujo peso deve estar referido pelo menos em termos de percentagem nos folhetos e páginas nas quais se anuncia a oferta. Não se esqueça de ler muito bem todas as informações e confirmar se não existem aquelas famosas “letras pequeninas” com as habituais contrapartidas pouco aliciantes;
  • Não recorra ao crédito para as suas férias, a não ser que o financiamento seja muito vantajoso. Na maioria das situações os encargos imputados aos clientes não justificam o risco de se escolher esta via bancárias mas já começam a ser lançados produtos bastante competitivos com juros extremamente baixos e bons períodos de reembolso. Contudo, não avance sem pensar. Estude cuidadosamente o contrato e trâmites do mesmo. Não se deixe enganar pelas aparentes facilidades, uma vez que é nos detalhes que residem as surpresas mais desagradáveis de qualquer acordo;
  • Avalie as taxas e comissões impostas se escolher um crédito para férias. Como foi sublinhado no parágrafo anterior, esta não é uma alternativa aconselhada em todos os casos, no entanto, pode dar-se a feliz coincidência de surgir uma proposta “simpática”. Se tal acontecer confirme logo se o valor imputado não é demasiado inflacionado pelos encargos adicionais e pense se lhe compensa realmente subscrever um financiamento. Considere a sua presente situação e sobretudo as responsabilidades futuras que terá de assumir para restituir o empréstimo à entidade credora;
  • Tenha especial atenção às promoções de época. Muitas vezes estas são utilizadas de maneira a induzirem o consumidor em erro, não passando de publicidade enganosa para vender descaradamente um pacote de turismo ao mesmo preço que é comercializado ao longo do ano. A técnica já é antiga e todas as indústrias procuram utilizá-la através de uma estratégia que consiste na colocação de um montante mais alto do que o real para que seja realçado o valor actual (que na verdade é o mesmo de sempre) como sendo um desconto fenomenal a não perder. Informe-se bem antes de finalizar a compra;
  • Procure adquirir os pacotes turísticos online e evite intermediários. Desta forma irá poupar uma verba substancial que normalmente é reservada para custear os serviços destes intervenientes, como as agências de viagens, entre outros, pois isso significa que obterá um preço final mais reduzido. Por isso, navegue pela internet, em sites credíveis, e verifique que alternativas tem à sua disposição dentro daquilo que pretende e compre aquela que melhor servir esse propósito;
  • Um derradeiro mas nem por isso menos importante conselho é comprar os pacotes turísticos com antecedência e ser tão flexível quanto possível relativamente a datas e horários. É claro que tal não é uma opção válida para qualquer pessoa, especialmente a flexibilidade, mas quem tiver oportunidade de o fazer não deve hesitar. Já no que diz respeito à aquisição dos bilhetes e reserva dos hotéis com tempo não existe desculpa alguma que justifique desperdiçar as vantagens que realizar essa tarefa proporcionará. Nesse sentido, seja perspicaz e beneficie das mais-valias desta acção.

O presente artigo refere somente uma pequena parte das sugestões que pode seguir para conseguir umas férias baratas mesmo em tempo de crise. As dicas para a vertente cada vez mais popular das  são imensas e constituem-se como um instrumento essencial para usufruir de um merecido descanso longe de todas as preocupações. A sua única responsabilidade será aplicar esses conselhos a seu favor e certificar-se de que tudo está tratado antes de iniciar o período de relaxamento. Depois resta-lhe usufruir de cada momento e guardar na memória mais um capítulo inesquecível da sua vida.

Booking.com