Uma das eternas capitais mundiais do amor e romance está agora ao alcance de qualquer carteira, não se destinando apenas exclusivamente a uma circunscrita elite, algo que acontecia até há bem pouco tempo. E se pensa que Paris é apenas um mero devaneio, a expressão a reter é low cost, a popular junção de termos que tem em grande parte sustentado o ramo do turismo na presente altura de grave crise global.

O segredo em conseguir visitar a metrópole da Torre Eiffel é conseguir organizar tudo o que necessita antes da partida com o máximo de antecedência possível, o único método para se obterem os melhores preços seja no que for. Desta forma, independentemente da estação do ano, os custos de percorrer uma cidade histórica de beleza única e repleta de tesouros artísticos fica bem em conta e substancialmente abaixo da verba exigida, por exemplo, há uma década atrás.

Caso o seu pensamento esteja numas férias baratas em Paris, tenha especial atenção à hotelaria e restauração, as duas áreas com os preços mais elevados e, portanto, fora do seu orçamento low cost. Aliás, terá mesmo de ser nestes dois aspectos indispensáveis que os esforços de contenção devem ser superiores, embora tenha a seu favor a existência de uma alargada e heterogénea oferta, a qual, através das escolhas acertadas, pode inteiramente coincidir com todo o tipo de bolsas.

Imperdível em Paris…

Há obviamente locais absolutamente obrigatórios a visitar na capital francesa, sobretudo a Torre Eiffel, Arco do Triunfo, Museu do Louvre ou a mítica Catedral de Notre Dame. Contudo, não se limite unicamente a estas sugestões – algumas das quais conhecidas por longas filas de espera – e não perca a oportunidade de ver com os seus próprios olhos os esplêndidos Campos Elísios, jardins do Palácio de Versalles e o Obelisco de Luxor, construído na Praça da Concórdia.

Se a sua estadia for de uma semana ou mais, organize-se bem e vá até à Disneyland Resort Paris, Galerias Lafayette, Basílica do Sagrado Coração e Bairro de Montmartre, quatro referências incontornáveis da “cidade-luz” que geralmente por falta de tempo ou um planeamento correcto não são apreciadas pelos milhares de turistas que diariamente caminham pelas ruas parisienses.

Onde ficar em Paris?

Em relação aos espaços para descansar ao final de cada dia, será complicado apontar quaisquer hipóteses, pois isso dependerá dos sítios escolhidos para visitar. Há diversos sites onde tem ocasião de ficar a par das propostas mais em conta e ler inclusivamente a opinião de quem já por lá passou. Por isso, aconselhamos uma pesquisa na internet para encontrar o local ideal tendo em conta a sua capacidade económica e preferências.

Se desejar relaxar junto à Torre Eiffel, o Arley, Timhotel, Citéa ou Europe Hotel Paris têm estadias bastante acessíveis, óptimas instalações e serviços complementares de boa qualidade, havendo pontualmente excelentes promoções que chegam ao mercado tão depressa quanto desaparecem. Assim sendo, vale a pena estar atento e eventualmente poderá ter a sorte de agarrar uma dessas singulares promoções lançadas aleatoriamente por empresas e estabelecimentos do sector da hotelaria, mas não só.

Por último, os albergues, pensões ou residenciais também são óptimas alternativas para recarregar as suas energias ao fim do dia e a oferta de qualidade neste segmento não falta. É normal conseguir um hotel ao mesmo preço que estas casas, porém, não custa nada estudar exaustivamente as possibilidades e optar por aquela que melhor se adapte ao que deseja. A decisão final é unicamente sua.

Booking.com