Hoje em dia quando viajamos podemos ser confrontados com problemas que vão desde ficar doente, com perder um voo ou então termos de anular as nossas férias. Para evitar perder o dinheiro que investimos em voos, bilhetes de transportes ou até ser compensados pela perda de bagagens o melhor é sempre pagar um extra que nós cobre despesas em caso de acontecimentos inesperados. Como diria qualquer um de nós, mais vale prevenir que remediar.

Como investir num bom seguro de viagem

  • Investir, em primeiro lugar, na cobertura de: Assistência em viagem a pessoas, Cobertura de bagagens, Cobertura em caso de atraso do voo e cancelamento do mesmo, Em caso de doença e cobertura do prolongamento de viagem
  • Escolher o tipo de proteção que pretendemos
    Primeiro de tudo é importante escolher o nível de abrangência do seguro que fazemos, por norma são feitos contratos para segurar em caso de morte ou invalidez permanente. Depois a pessoa pode optar por muitas outras opções, por exemplo: assistência em viagem, em caso da perda da bagagem, assistência ao veículo, para doença ou acidente em viagem cobrindo não só despesas médicas como ainda o transporte de familiares, caso fique internado no estrangeiro.
  • Adequar o nosso seguro ao nosso destino.
    Quanto mais distante ou mais exótico o sitio a visitar, ou quanto mais radicais as atividades que vão ser praticadas, maior número de possibilidades o seguro deve proteger. Isto por motivos óbvios, há maior possibilidade de acontecer algo em termos de acidentes e caso aconteça os custos de viagem de regresso ou de bons cuidados médicos poderão ser facilmente muito superiores ao previsto.
  • Como contratar e onde contratar uma seguradora
    Procure uma seguradora que se adapte ao que quer e evite gastar dinheiro no que não necessita, aumentando desnecessariamente a sua conta total das férias. Procure pacotes de seguros pois muitas vezes estes ficam mais baratos e possibilitam até incluir várias pessoas, o ideal para viagens em família.
    O importante ao escolher uma seguradora é pesquisar e aproveitar os recursos online pois maior parte destas empresas permitem fazer uma simulação de seguro ou seja permitem saber logo aquilo que nos interessa: preços e o que nos é garantido. Sem dúvida um site a não perder é o http://www.portaldeseguros.net/ que tem uma listagem de várias seguradores com links e listas de casos que a seguradora cobre.
  • Não duplicar os seguros
    Ao contratar os seguradoras informe-se sobre os seguros que já tem ativos, por exemplo se tem um seguro de vida é desnecessário contratar uma outra empresa para fazer um seguro do mesmo género temporariamente. Por exemplo quem tem um seguro contra danos pessoais já está coberto em casa de morte, invalidez permanente, sendo que em princípio a seguradora pagará despesas médicas e de funeral em caso de acidente, o que é basicamente o mesmo que o seguro de vida oferece.
  • Como usar o seguro de viagem?
    Ter o seguro não é apenas o ato de pagar.  Regras importantes depois de pagar um seguro: saber exatamente o que este inclui, de forma a que saibamos como agir em todas as ocasiões; ter os contatos certos; saber para onde ligar acerca de dúvidas ou para informar a empresa seguradora do que se está a passar;  recolher todos os recibos, facturas e papéis necessários para possíveis reembolsos. Evitando assim pagar por um serviço que não conseguimos usar ou que não conseguimos de facto que nos auxilie uma vez que não estamos familiarizados com os processos ou contactos.

Conselho: Se viajar dentro da Europa e alguns países que rodeiam a Europa pode ainda ser pedido um cartão Europeu de Saúde, isto é um cartão que nós acesso a todos os cuidados médicos, em qualquer um dos países por ele abrangido, que os locais têm. Tendo apenas de pagar as taxas ou custos que qualquer outro cidadão pagaria, podendo ainda ser pedidos reembolsos, atenção que este não substitui o seguro mas auxilia e agiliza o processo em caso de necessidade de atenção médica.

Booking.com